terça-feira, 27 de dezembro de 2011

You're a player


the sky is green and you are naked
the party is bubbling
and you are just more one line in a song

you are on the couch kissing a hoe
you don't even bored
if she is a dud our your sister
because you're just playing
you're just playing
you're just playing

you are so fucked up 
that all this song
just began to make sense
oh dude being a player become too danger


dude, dude, dude
dude, dude,
you're a player.

you are a killer of butterflies stomach
the hearts are just more one place to you joke around
and i can't deny it
i'm a player too.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

"You Broke My Heart, Now I'm Gonna Break Something Of Yours."- Spongbob


Vejo as sombras a dançarem na parede, enquanto me afundo no sofá com o sabor de chocolate quente nos lábios, quem me vem à memória és tu.
Sim tu, mergulho em rasgões de essência dos minutos que saboreamos juntos.
Sim, esses minutos insanos de pura revolta das nossas emoções.
Nada está ao meu alcance para vincar ordens, tudo se vagueia com vontade e força própria!
As minhas emoções, essas, correm tresloucadas como se não houvesse amanhã! Lamento, não as consigo controlar, não sou mais possuidora desse cargo, tu despediste me dele, no momento que a humidade dos teus lábios molharam os meus.
Tu és o culpado do caos.
Tu.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

KEEP CALM & SLEEP



Quando um segundo corre como se fosse um minuto,  uma hora enverga a sensação de 5 minutos e os instantes  tornam-se momentos, e o tempo parece esgotar a cada gesto teu, é porque o relógio está estragado!
Recuso-me! Recuso-me a acreditar mais uma vez nesse sentimento sobrevalorizado, que me alicia com promessas e sonhos bonitos.
Se é para fazer de mim palhaça, vamos montar um circo então! Pois que venham ver, não me importo que se riam da minha ingenuidade e trapalhice, mas daremos ao mundo do espectáculo o deslumbre do urso que és!
Empoleirado num monociclo, equilibrado numa linha a vinte e três metros do chão, carregado do peso que me
impões desse desnaturado sentimento, irás mostrar aos espectadores a tua astucia!
Agora quero ver de que te vão servir as promessas, e as palavras mal sentidas, isso agora elas que te salvem.
Não haverá, rede, colchão ou trampolim que te valha, não permitirei!
Faz das tuas garras,  penas, como fazes das minhas ilusões,  sonhos, e voa! Quero te ver voar urso!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Para saber o que queres, tens de saber o que não queres.



Mãe, mãe! Quem sou eu?
Perdi-me nos meus pensamentos, nas minhas bipolaridades, mãe eu perdi me dentro de mim!
Sou problema, sim sou problema. Sou uma duvida ambulante que abraça o medo e teme tudo o que é novo.
As pessoas e as suas opiniões não passam de fumaça, um constante nevoeiro que me impedem de ver, de respirar o real.
Não confio em ti, nem confio em mim, as minhas decisões são sombrias, assustadoras e as tuas simplesmente não são as minhas.
Estou num cambalear entre a tua verdade e a minha verdade.

sábado, 26 de novembro de 2011

FREE CAKE, i'm coming, i'm coming, i'm coming!



Os meus pensamentos bobos em criança, tudo tinha uma explicação simples, e tudo era possível de acontecer e existir.
Lembro de pensar, que o mundo era como uma caixinha do ovo kinder-surpresa, e nós éramos como o brinquedo, a surpresa lá dentro, que morávamos no núcleo do planeta terra.
Lembro de pensar que a minha mãe ia buscar estrelas ao céu com uma escadas mágicas, para eu poder comer os cereais Estrelitas com leite, logo pela manhã.
Também me recordo de ficar noites acordada à espera que a fada Sininho me levasse para a terra-do-nunca, ou de ter a tola ideia que eu tinha um poder mágico, e de procurar por sereias sempre que os meus queridos pais me davam o deslumbre de me levar à praia.
Com a minha tenra idade do descobrimento, confiava os meus segredos ás minhas bonecas de pano, achava que os desenhos animados eram tão reais como nós, e que os nomes dos meus pais, era mãe e pai nada mais.

Na nossa infância fantasiamos com tudo o que nos é dado, recebemos toda a informação e moldamos-a nosso gosto , mais doce ou mais salgada, em adulto somos obrigados a crer na realidade como ela realmente é, e numa tentativa de fuga ao crescimento, mentimos, aos outros e a nós.


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

You only see the true wherever you want to see.

Só porque alguém fala a olhar te nos olhos não significa que esteja apaixonado por ti, só porque alguém te trata por querido(a), ou outros nomes carinhosos não significa que goste de ti, só porque alguém te abraça não quer dizer que precisem de ti, só porque alguém te dá a mão não significa que nunca vá embora, só porque alguém prometa algo não significa que cumpra! Só porque te alguém te agarra pela cintura não significa que queira algo serio, só porque alguém quer saber os teus segredos, os teus problemas não significa que se importe, só porque alguém ri o dia todo não significa que esteja bem, só porque está chover não significa que seja um dia triste!

As palavras, as atitudes, as pessoas tem duplos, triplos significados, talvez até mais que desconheças.
A verdade é, não podes saber, conhecer nada por absoluto, por isso porque jogar pelo seguro se é tudo tão incerto?
"Quem não arrisca, não petisca" Certo ;)?

domingo, 6 de novembro de 2011

Prometo, não te irei retirar mais nenhum pedaço de sanidade




A chuva corre, na pele sinto cada gota, sinto agua gélida a correr me pelos cabelos.
Descalço os sapatos, arranco as meias e com os pés completamente nus danço, danço ao sabor do vento, piso cada pedaço de chão, salpico cada poça de lama.
Rodopio e rodopio, ficando tão tonta que o meu corpo embate no chão, agora me estendo, abro os braços e aprecio cada toque da chuva sobre mim.
Fecho os olhos, sinto um toque quente, cinco dedos a vaguear pela minha cara, uma festa de ternura, sei que és tu, senti o teu cheiro, mas num pestanejar de um movimento brusco de abrir as pálpebras para te ver, desapareces.
Esfrego os olhos e volto a olhar e a focar, mas nada, não vejo nada, além da chuva.
Parecias tão real como a roupa encharcada que me pesa no corpo.
Mas esvoaçaste com o vento que sopra para norte, e foste embora.



terça-feira, 25 de outubro de 2011

Stupid moment when you try to be the biggest moron in a conversation, but the other person just keep saying things because he think you're hot








I'm just that bad? humpf, no. People are complete idiots, they just are only interested in appearance.
and i'm also a douchebag.
Sorry i can't avoid it.
Is the easiest way to don't get hurt and be safe.

domingo, 16 de outubro de 2011

Look like a GIRL, act like a LADY, think like a MAN and work like a BOSS!


As palavras que escrevi ontem não fazem sentido, os pensamentos que alojaram a minha cabeça e o meu coração eram apenas fantasmas, os sentimentos, mentiras que pulavam e se pavoneavam se de mão dada e dedos entrelaçados com o Pinóquio.
A minha vida, cheia de marionetas com os fios embaraçados, enredados e com grandes nós!
Cortei-os a todos! As marionetas caíram em palco e o espectáculo acabou! Os espectadores, silenciados, *pchiiu* se não fizermos barulho conseguimos ouvir os seus pensamentos cheios de duvidas, se foi mesmo o seu fim, ou se amanha reabrirá para mais um dia de representação.
Mas meus queridos, despeço-me que tenham um bem haja e tudo de bom, porque eu, não vou voltar, sei que muitos ou todos não acreditam em mim, mas é a vossa duvida que sustenta a minha força. *chuack*

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mr. Stone douchebag






Zi: But before I had heart. I gave my heart away, but he don't came back, so now I have a stone to replece the heart.


Dreamer: I can get you a new one .

Zi: But now i have the stone.

Dreamer: I can break it.

Zi: It's the Mr. Stone douchebag.

Dreamer: And so what ?

Zi: It's unbreakeble, and inreplaceble , the Mr. Stone Douchebag don't do anything like the heart has done.

Dreamer: I'm pretty sure i can break it and replace it
I will break it so hard that you will never remember it again

Zi: But Mr. Stone Douchebag is my friend I can't give away.


i can't give away, my heart let me down and the stone will never leave me! like my heart have done.


Dreamer: If i gave you my heart it won't let you down.


Zi: I don't trust in heart.

Dreamer: And if i give you my stone ?
will you trust me ?

Zi: That is the problem of a stone, they have no love to give.

Dreamer: With two stones you can get fire , and i think that's what we need, simple.

Zi: But fire, is not love u see?

Dreamer: With that fire you can burn away all the bad feeligns the past has left on you and then you can have love again .

Zi: But my past is not bad, is because that i miss , and my heart don't came back, because he is stuck in the past!

Dreamer: I will get you a new one that will open to receive the present.


Zi: But i already have said, i don't trust in hearts.

Dreamer: So what can i do ? tell me !


Zi: Be my friend, and never let me down, because i need you to survive!








terça-feira, 11 de outubro de 2011

It’s easier to be alone, because what if you learn you need love and you don’t have it?




Eu tenho feito algo realmente estúpido, cada vez que me lembro de ti escrevo num papelinho o teu nome.
Acho que me deves umas 5 canetas que deixaram de escrever de tanto que desenhei o teu nome, e também devias de ir plantar umas árvores para compensar o papel que gastei.
E sim és tu que deves não eu!
Porque estava alcoolizada de amor, portanto não estando sóbria não posso ser responsabilizada por nada!
Agora tu que infringiste o meu ser e impuseste toda essa droga a correr me no sangue, tu sim és o culpado.
E a ressaca não poderia ser ainda mais horrível, náuseas e vómitos devido ao teu cheiro que o meu olfacto não esquece, dores de cabeça horríveis devido ao ecoar da tua voz no meu pensamento, tonturas e alguma falta de sanidade devia à sobrecarga do desejo de ti.



quarta-feira, 5 de outubro de 2011

i just wanna say, i will always love you.


I don't know what to say, i just know i want to talk with you.
I do not know what to do, i just know i want to be with you.
Now, let your heart speak, he is not calling my name?
Because my heart is screaming your's.
I really miss you, and every day is more difficult to hide that.
I'm trying so hard to move on, but i see you so capable of that, and this make me weak and i cry.
I cry because you are so happy without me and i need you so much to be.
I just think that is not fair to me.
I should be able to move on.
I'm trying, i'm really trying but i ask to myself if is possable.

domingo, 2 de outubro de 2011

I can't stop 'cause I'm having too much fun.


Falas demais, pensas demais, escreves demais, e representas demais!
Escondes te, mostrando-te. Focas tudo em piadas, fazes um grande circo à tua volta na esperança de não repararem nas tuas meias verdades, no teu tímido sofrimento. 
Esconde os macacos, guardas os elefantes, solta os leões, acaba com essa farsa. 
Não podes simplesmente representar que estás bem,  não podes simplesmente dirigir-te à plateia e brincar da pessoa mais feliz do mundo, pará!- Sinceramente um concelho do teu cérebro.

Posso sim.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

This is lovely, lovely, lovely




Como é possível que por baixo de um conjunto de linhos  nos sintamos protegidos, só por nos tapar até ultima amostra de pele, respirando suavemente por baixo daquele manto sentimos-nos intocáveis!
Admirável, como um simples e fino lençol passa a ser uma forte e densa membrana de neblina entre nós e mundo cá fora.
Que esconde as nossas lágrimas e protege das sombras sinistras que rodam lá fora. Um pequeno aconchego na almofada e toda a realidade se torna secundária dando oportunidade à imaginação de brilhar.
Pergunto, se poderá haver momento mais conchegativo do que aqueles que se passam por baixo dos milhares de linhos unidos como um só para nos aquecer, principalmente quando por entre estes se encontram mais que uma respiração só, e o perfume da almofada se confunde com os cabelos que lá passam a vaguear apenas de visita.

domingo, 25 de setembro de 2011

Poder, podes pedir muita coisa, não quer dizer que recebas alguma coisa!



Podes pedir  ao tempo que ele espere por ti, mas ele não vai parar! Podes pedir ao vento uma aragem num dia de verão mas ele não vai soprar. Podes pedir para que sintam a tua falta mas tua ausência não será notada. Podes pedir ao mar uma direcção mas não passarás de um naufrago! Podes pedir para te amarem ou podes fazer com que te amem!
Tens que correr atrás do tempo que queres ter, de ir ao encontro do teu bem estar, tens de fazer não com que a tua presença seja notada mas sim que a tua falta seja sentida, tens de nadar na direcção que pretendes ou ninguém o fará por ti!
Podes ir ao super-mercado e pedir meio quilo de batatas, e 3 couves, mas não podes pedir meia dose de felicidade e umas quantas pitadas de amor em pó!
Não peças permissão, não peças por clemência, não pedinches oportunidades!
CORRE, FALA, FAZ! Faz dos teus pensamentos atitudes!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

love is in the air ♥. oh gosh, hold your breath!



Os passeios depois da chuva, a sensação de um luar húmido, o nosso reflexo no chão gélido e molhado, o calor do teu abraço, o sabor dos teus lábios entre pequenos arrepios de frio miudinho.
As nossas gargalhas a propagarem-se ao mesmo tempo que a chuva cai, as nossas vestes encharcadas no chão, o refugio nos teus abraços durante a trovoada.
As desculpas tolas, as conversas sem sentido, acordar com o cheiro do amanhecer conjugado com o teu perfume, com o doce timbre da tua voz.
oh boy, i love you.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

REVOLTA, MOVIMENTO ANTI-ESTUPIDEZ


PESSOAS, aprendam a ser umas mulherzinhas e uns homenzinhos!
Deixem de ser ignorantes, com tanta informação que passa à vossa frente!
Se querem criticar façam criticas construtivas e não destrutivas e avassaladoras!
Se acham que matar é crime, então deviam ser presos, podem não assassinar com metal, ou com punhos, mas pesem muito bem as vossas palavras porque podem estar a matar psicologicamente, o que deveras é igualmente horrível!
És feliz por chamar os outros de gordo, feio, patego ou gozar com seu gosto e considerar inferior?
Pois se és, és triste, só as pessoas inferiores e de pouca inteligência precisam de sentir superiores e de inferiorizar!
IGUALDADE- significa aceitar qualquer um como igual! o racismos estendeu-se não só em termos de religião, etnias, e sexualidade mas sim tbm entre estilos e pequenos aglomerados que se auto-identificam como fixes!
GANHEM VERGONHA

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Let it go....



Sleep, sleep, sleep
i just want my bed
to come in my sweet dream land
where my deep secret wills comes true
and everything is about me and you
sleep, sleep. sleep
and i wish wake up beside you
and every word you told me was true
in my sweet dream land
you made the promises you made to.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ou é, ou não é.




Brinquei de crescida! 
Um batom aqui, uns saltos ali, e muito pouca sinceridade em tudo!
Achei que podia jogar este jogo tolo que insistes em manter na mesa, mas não gosto do peão que estás a representar! Lança aos dados, e verás que este jogo não tem sentido. 
Cansei de representar a menina compreensiva, bem comportada, e crescida, porque não o sou!
A criança que existe dentro de mim , grita, corre e  pula que a deixem sair!
As coisas vão ser aquilo que são, sem meias verdades e fingimentos.
Não existem inícios sem fins, nem olá's sem adeus! Por isso não inventem meios sem limites e meios termos de duplo significado!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Dreams wasted on you



Tragam a vassoura, limpem os confetes, pois a festa acabou.
Chamem os seguranças e expulsem toda gente, toda gente especialmente tu.
Apaguem as luzes, parem a musica, pois este sitio desertou de ilusões, de embustes e de ti!
Já não tenho nenhuma versão cor-de-rosa sobre ti, agora tudo não passa de cacos, de pedaços de copos com cheiro a álcool, e de uma grande ressaca vomitada em cima das tuas palavras!
No passado conjuguei o verbo precisar mal, "preciso de ti" errado, "precisei de ti" ainda assim o professor do destino descontou-me metade da pontuação, mas assim que emendei a frase para " eu nunca precisei de ti", tirei nota máxima,  melhor aluna na escola dos sonhos.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Macacos, a revolta.

Sedentos de vingança, atropelam as regras do bom senso, enganam ingénuos corações e comem nos aos jantar acompanhados de uma deliciosa e sumarenta banana.
E sem demora, mais uma noite de macaquices.
Espumando a raiava pela boca, sobressaindo os seus caninos mais afiados, rasgando ferozmente os sonhos de quem se receiam apaixonar.
Com os seus dedos gordos e peludos, sufocam qualquer oportunidade de ficarem mansos e domesticados.
Eles andam à solta, correm as ruas à luz do dia e na escuridão da noite, cuidado, eles andam à solta!

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Falta, o Sr. Quase!


Tentei pintar a lua, tentei pintar uma estrela cadente no tecto do meu quarto, para cada vez que adormecesse pudesse pedir um desejo. Mas o tecto ficou estrelado e nenhum dos meus desejos realizado!

Sai desse pedestal, desce do céu, torna te alcançável. Humaniza te, pluraliza te de sentimentos, borrifa te com algumas gotas de néctar de determinação e decide te!

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

i hate you a lot, like a lot a lot


Sangue, sangue, sangue.
Acabaram os contos de fadas e as histórias mais cor de rosas, chega de embustes e falsas esperanças de um "feliz para sempre"!
Encaremos a podre e nojenta realidade, sim que a repugnância que sinto por ti surja.
Não existe nenhum sapato perdido, nenhuma maçã envenenada, nenhuma rosa encantada, não existe nenhuma compaixão!
Morte ao amor.

domingo, 31 de julho de 2011

Summer lovers


Os grãos de areia escapam entre as folgas dos dedos, como os pequenos minutos do tempo que tento conservar e prender em mim.
Mas ninguém é dono do tempo, ele é filho da liberdade, tirou doutoramento e abriu hospital para alma, os tratamentos são de longo prazo e o que a memória não esquece o coração sabe.
Devo ao tempo, o tempo que não acordei, o tempo que me dediquei a um jogo sem oportunidade de ganhar, o tempo que construí um desafio, um quebra-cabeças sem solução, o tempo de gritos mudos, o tempo de ouvir fiquei surda, o tempo que fiquei baloiçando com a corda bamba, o tempo que fiquei a criar conflito por a alma ser pequena, o tempo que pensei que o queria era o que precisava... Devo ao tempo o tempo de caprichos!

sábado, 23 de julho de 2011

"DISTANCE SUCKS, my room is so far from kitchen!"

Um momento fotográfico capta um segundo , capta um sorriso de um riso, uma lágrima de um choro, um abraço de uma despedida, um salto antes de uma queda, o gesticular da boca sobre uma palavra de uma conversa.
Capta as particularidades, e guarda em memórias registadas em papel ou suporte digital aquilo que gostamos de recordar, e sentimos falta.
A fotografia tem em si o eterno, o momento que captou ficou conservado em tinta e papel plastificado.
Em tempos estive envolvida nos teus braços, e já não estou mas nesta fotografia onde nos encontramos encaixados está guardado um abraço eterno, como nas minhas memórias mais dóceis sobre ti.
Mas meu querido, são só memórias, não me seles em rolos fotográficos, se a maquina já está morta em bateria, não rodes mais as mesmas fotografias.
Não primas o botão neste quarto escuro se o vais fazer sem flash.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

um dó li tá, e tu não estás cá.


Beijar-te debaixo da chuva, ou durante um longo banho a dois, e sentir as gotas de água entre os nossos lábios e entre o teu toque na minha pele.
Assistir ao pôr-do-sol rodeada do aperto dos teus braços, sentido as caricias da tua mão.
Rolar numa colina de areia até ao bater das ondas nos nossos corpos sobrepostos.
Ainda há tanto para partilhar, e o tempo corre, num jogo de esconde-esconde entre a lua e sol, o mar encontrou a lua, e o sol recorre as suas cúmplices, mas as nuvens safadas fogem e deixam no há mercê de quem o avistar.
Usam os fusos horários para fugirem um do outro mas inevitavelmente eles vêem se afinal ambos partilham o mesmo espaço, a mesma galáxia.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Meu lindinho, e fofinho


Sim eu gosto de si, mas a minha resistência e as minhas aptidões físicas são as piores já vistas, e a minha persistência é coisa inexistente, eu sou uma incompetente, e não vou correr atrás de ti.
Sou incapaz de te entender, poderia tirar doutoramento em psicologia que ainda assim permanecerias uma incógnita! O céu parece me azulado, a faca do queijo desapareceu, a janela está aberta e o vento sopra contra as cortinas e eu meu querido gosto de ti!

domingo, 10 de julho de 2011

Qual é o maior fã do Pinóquio? O Voldemort.

Sinceramente, não tenho nada para escrever, nenhum sentimento para expressar, nenhuma queixa, nem nenhum agradecimento, nenhuma insegurança nem nenhuma certeza!
Porque simplesmente não estás, vamos te tratar por sol, está a ocorrer um longo eclipse e tu escondes-te atrás da lua!
O dia não tá escuro, nem iluminado, está meio cinzento.
Eu diria até que o aborrecimento poderia ocupar o lugar da lua.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

I don't give a fuck!


O monstro da ressaca vive dentro de mim.
Este monstro vive há demasiado tempo e os estragos que faz por sobrecarregar o meu corpo com a sua existência são irreparáveis.
O monstro sente uma necessidade quase mortal de se alimentar da droga que lhe deu vida em primeiro lugar. Uma droga tão intensa que todas as forças que consegue retirar de mim utiliza na perseguição dessa droga.
Mas para compensar a falta dessa droga ele corroí e trinca ferozmente todo o meu corpo por dentro.
Bebe os globos de sangue ao coração, e come de garfo e faca o meu cérebro, e com ele devora a racionalidade em mim, e trinca com gosto todos os outros órgãos.
Ele habita há demasiado tempo dentro de mim, sinto-me fraca, sinto-me nauseada, mal-disposta, cansada, sinto-me doente!
E choro quando a noite traz a lua e a única voz que se ouve é o meu pensamento eu choro. Porque a droga que apela ao monstro da ressaca a vontade de se agarrar à vida és tu!
A culpa é do sabor dos teus lábios, da ternura do teu toque, do teu cheiro, do som da tua gargalhada que despertam me vontade de sonhar e ele absorve todos os sonhos e as forças que contenho neles, e sobrevive!
Estou doente de ti!

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Everyone makes mistakes that's why they invented the pencil with rubber tip.

"I've been thinkin' about
All the times you told me
You're so full of doubt
You just can't let it be
But I know
If you keep on comin' back for more
Then I'll keep on tryin'
I'll keep on tryin'
And I've been drinkin' now
Just a little too much
And I don't know how
I can get in touch with you
Now there's only one thing for me to do

That's to keep on tryin' to get home to you

And I feel so satisfied when
I can see you smile
I want to confide in
All that is true
So I'll keep on tryin'
I'm through with lyin'
Just like the sun aboveI'll come shinin' through
Oh, yes I'll keep on tryin'I'm tired of cryin'
I got to find a way
To get on home to you
I've been thinkin' about
All the times you held meI never heard you shout
The flow of energy was so fine
Now I think I'll lay it on the line
And keep on tryin'

To get home to you

And I feel so satisfied when
I can see you smile
I want to confide in
All that is true, so I'llKeep on tryin' I'm
Through with lyin
'Just like the sun aboveI'll come shinin' through
Yes I will
Oh yes I'll keep on tryin'
I'm tired of cryin'
I got to find a way
To get on home to you"

domingo, 26 de junho de 2011

Monster dont sleep under your bed, they sleep inside your head

CAN WE JUST CUDDLE AND STARE AT THE STARS?

I'm just tired. Emotionall, Mentally and Physically,

Estou farta dos teus jogos, destruí todas as peças de xadrez incluindo o rei.
Dei as damas de comida ao cão, atirei os dados pela janela, afoguei o senhor do monopólio, entreguei o Pacman ao Blinky, à Pinky, ao Inky e ao Clyde, aticei o super-mário contra o Sonic, criei uma guerra.
Contra a tua malícia, e contra mim.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

"WHY are you trying so hard to fit in, WHEN you were born to stand out?"


i'm not mean
i just don't have knowledge of good and bad
i'm not a bad girl
i just lost my sense of wrong and right
i'm not a bad girl i'm just a mess
inside of me everything is nonsense, and around me, i don't understand what is happening around of me.

A HUGE HUG FOR YOU











ADEUS.
















....





terça-feira, 21 de junho de 2011

Why do we always want what we can't have?


Tapo os ouvidos do coração, selo-lhe a boca e corto-lhe as pequenas artérias para não bombear o seu vírus de paixões e carinhos para o meu sangue, não me interessa ouvir os seus singelos pensamentos sobre sentimentos. Não lhe dou utilidade, ganha bolor e disfarço o seu cheiro a mofo com gotas do néctar do meu perfume de morango.
Mas não consigo controlar a sua rebelião, ele conecta-se ao cérebro quase por telepatia.

Se os robôs pensassem, acho que entrariam em guerra há procura de um coração, fazendo dele um rei, elevando-o ao maior pedestal da monarquia ao até mesmo de uma religião.
Eu venderia-lhes o meu, para conjecturar uma paz, não a eles mas a mim.

domingo, 19 de junho de 2011

My dear, i blame you.


Sempre fiz o que não era óbvio, o que era suposto não fazer, o imprevisível.
Andar em cima de telhados de vidros construídos por tanta duvida e tanta incerteza que surgiam umas escadas cristalinas que nem eu própria saberia onde me iriam levar.
A fuga é óbvia, um salto menos delicado e destruiria as bases por onde caminhava. De fácil execução como um castelo de cartas instável, mas sempre com possibilidade de ser reconstruído! As copas, ouros, paus, espadas, a família real e os números por mais sopros e ventanias, continuavam intactas prontas para um novo reinado, uma nova época de prosperidade.
Amontoadas, numa grande confusão com o teu pé de chumbo esmagaste o que eu chamava o auge da minha monarquia. Dobraste, rasgaste as em mil pedaços e queimaste tudo, e agora das cinzas pedias me que reconstruísse tudo!
Rendo me agora ao provável, subjugada pela pobreza que me impingiste.

But nvm idgaf....

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Sim?


Gritas tão alto que nem os meus próprios pensamentos consigo ouvir, desgastas o brilho dos meus olhos e eles vão perdendo a cor quando não estás por perto.
Os meus lábios tem sede dos teus, mas eu só desperto desejo, só desejo nada mais que desejo.
Quero mais que desejo, porque mesmo quando não olho captas a minha atenção.
Mas desiludes e desiludes, porque não podes apenas dizer as coisas certas no tempo certo? Estar no lugar certo, no tempo certo?

domingo, 12 de junho de 2011

I would run away from you or with you






Eu tenho medo, muito medo, acompanha me por favor eu tenho medo, muito medo.
O medo imobiliza me, silencia o meu grito de socorro, e controla o meu corpo, a minha voz a minha vontade.
Eu tenho medo, tenho medo de vultos desconhecidos, tenho medo de pequenos insectos e tenho medo de ser incapaz. EU TENHO MEDO, abraça-me, eu tenho medo.
Alguém me segue, alguém me segue, por favor não me deixes ir sozinha, eu tenho medo, acompanha me.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

F.E.A.R


Só vejo movimentos circulares, só vejo vultos e tudo roda e tudo roda.
Estou no centro de um carrossel colorido pelo arco-íris e os cavalos de fantasia e os unicórnios rodam à minha volta e não param e não param. Só vejo movimento, velocidade, vultos e tu és apenas um vulto.
Sinto me nauseada, zonza, mal disposta, vou vomitar, vou vomitar desejo de liberdade, de voar.
Não liberdade de ti mas liberdade de sentimento e independência emocional.
Não quero nada sério, vou limpar do meu corpo as impurezas , as promessas do para sempre e os compromissos que me consomem internamente, corroendo cada órgão.
E eu pergunto quem decidiu que é do coração que sai o amor, quem? Eu sinto pelo estômago eu sinto pelo estômago e apenas tenho desejo, apenas desejo e nenhuma paixão.
É no estômago que se encontra as borboletas que as minhas toxinas alimentares matam e asfixiam.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

-Goodnight sweetheart.


EU QUERO:

-Fazer as malas, meter-me num autocarro e partir sem destino, nem hora de chegada, conhecer algo novo, preservando o velho. Ganhar novas experiencias, continuando com os mesmos princípios, sentir novos medos e enfrentar novos obstáculos.

Á procura de emoção quero partir á aventura, desvendar o desconhecido. Levando comigo apenas uma mala e a companhia da minha sombra.Perder a minha ingenuidade em relação ao mundo, eu quero viajar.A minha cidade é boa, mas boa de se voltar mas não de se estar.

A cidade é o meu quarto o seu chão a minha cama e o seu céu estrelado o meu tecto mas ninguém vive deitado sempre na mesma cama.

Quero viver novas experiencias, ser estatua ou fazer de palhaço por um dia, num lugar desconhecido, fazendo coisas loucas sem ter de dar explicação de “o porque”. E voltar um dia, e partilhar tudo o que vivi, olhar para trás e rir de tudo o que fiz …

Não quero ter tempo de ser o erro de ninguém, Apenas a cultura de alguém.

sábado, 4 de junho de 2011

I dare you.


O som do seu riso retumba nas minhas cogitações mais solenes, foi com a gravação desta melodia que adormeci e acordei, e flashes tremeluzem e reproduzem repetidamente a sua imagem, a sua presença fictícia.

Lado a lado, sondamos o céu e de dedos entrelaçados deitados no chão,eu minto, sim equivoquei-te, alvejei uma estrela com um desejo, e de sigilo o escondi e vou esconde-lo submerso em todas as emoções que me controlam quando estou contigo. Eu escondo-o.



Menti-te para esconder o desejo que alberga a minha vontade sobre ti. Pois desejo que é contado não é realizado.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Switch your emotions♥



























Arrisquei me em grandes altitudes,entre nuvens e trovoadas tu empurraste me, e não tiveste o cuidado de me dar um para-quedas, de revestir de almofadas a área em que o meu corpo se aventurou contra a gravidade , ou até mesmo uma rede a alguns metros do chão, e não, não estavas lá para me apanhar simplesmente empurraste me.
No desenvolvimento de um raciocínio muito estúpido, ousaste pensar que ao me encontrar com o meu próprio sangue no chão, tomasse como atitude arrastar me e utilizar a réstia de força que existe em mim, para te suplicar socorro.
Deitada, afogando meia metade da cara numa poça avermelhada, gritei, gritei não o teu nome, mas sim o meu, apelei à minha imaginação e dela desabrocharam as cores e os pássaros que voaram e levaram o som das minhas palavras com eles.
será que acredito em ti?

domingo, 29 de maio de 2011

if the sky was green and you was naked?




Quero ter o peso de uma nuvem, para poder voar, e se eu fosse uma nuvem?
Poderia fazer por mim fluir gotas e aguaceiros para acordar a humanidade que há tanto anda a dormir, podia desaparecer em dias de sol, e contribuir no mais belo processo da natureza, o arco-íris.
Poderia ser razão pela qual anseiam e dão valor ao fim da tempestade.
Alimentaria a sede de animais e plantas selvagens que sem a presença do homem sobrevivem.
Seria uma força da natureza impossível de controlar, invadiria dias de verão e faltaria a dias de inverno, choveria em corpos semi-nus postos ao sol estendidos sobre grãos de areia em pleno Julho.
Assistiria a muitos beijos, abrasados que nem o mau tempo tem poder de travar a troca do salivar de boca para boca e o entrelaçar apaixonante das línguas dos intitulados donos do beijo.
Seria uma nuvem de agua doce, e inconveniente.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Desconhecido.

Encontramos nos então, cara a cara, olhos nos olhos e os lábios alinhados, forçados a dizer a verdade, que só o abafo do som da nossa voz escondia, e os nossos olhos denunciavam.
Ao por a verdade no som da nossa voz, uma grande claridade nos embateu, o chão por baixo de nós abriu, e cai-mos e cai-mos e cai-mos no desconhecido, sem saber se a queda era mortal, fizeste as borboletas do meu estômago voar, e a queda transformou se num voou em busca do desconhecido.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

why can't i marry with a dark chocolate bar ?


Mentiste com toda a força que o vento soprou as tuas palavras, ao passares ao meu lado é o chão que aparece no teu campo de visão. Tapaste todas as estrelas e escondeste me o sol.
Prometes te me a lua, e roubaste me o brilho dos meus lábios, mordeste e arrancaste as quentes cores de outono que eles possuíam, deixaste me pálida, e com uma constipação fungosa de alergias, alergia ao ar que tu expiras, e as coisas que não conseguiram ser imunes ao teu toque.
E culpo-te, culpo-te pelo mar derrubar cada grão de areia de um castelo singelo construido por mãos ágeis da doce e pequena idade, culpo-te pela transgressão que fazes do teu ser, e culpo-te por cada queda, cada espirro, cada movimento em falso eu culpo-te.

sábado, 21 de maio de 2011

Se eu tivesse que escrever a letra de uma canção seria algo assim


I could be your sunshine, your summer
I could be the reason why you wish the spring come but i will be the bird you can't catch
I will be the freedom you want but you will never reach

I could be your dream but i will be your nightmare
I could be your happiness but i will be your pain

This is not a revenge, i just love when you cry
and when you beg for me to come back
and when i put such sad expression on your face i just love to see

I could be your dream but i will be your nightmare
I could be your happiness but i will be your pain

and in the end i will laught at your face
and tell you came seven broken promises and seven broken dreams late
late
you came late

quinta-feira, 19 de maio de 2011

When anything goes right.......... goes left


Desejava ser um pássaro, ou um desenho animado, viver na selva ou no oceano.
Se o mundo fosse meu, o igual seria diferente, o individual seria universal, correr seria voar, e cair seria aterrar, os loucos seriam sábios, sonho seria realidade, realidade seria sonho, a chuva seria chocolate, o chão almofadas e todos nós seriamos desenhos animados.
Moraria no teu abraço, me esconderia nos teus bolsos, e desabafaria com os teus botões.
Se tivesse um único desejo, tornava toda gente em desenho animado.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Promises are made to be broken


Tento prender te pelas palavras mas escorres me como pequenas gotas de água por toda a pele que reveste o meu corpo, numa corrida a favor da gravidade embates no chão e com a ajuda do sol evaporas para longe, com toda a ajuda da mãe natureza és me levado, não porque queiras fugir mas porque te moves na direcção que o vento sopra e te deixas levar pela maré.
Faço promessas sobre o azul, o amarelo e o magenta, ensino-te o laranja, o verde, os claros e os escuros, mas esboças tudo a cinzento.

sexta-feira, 13 de maio de 2011

I know, nothing lasts forever but can i ask for some more?

Eu desenhei, tu riscas-te por cima, arrancaste e amarrotaste a folha e num movimento brusco e repentino encetaste-a no lixo.
Começas-te um novo desenho, eu corrigi-o à minha maneira e tu apagaste todas as pequenas alterações que fiz, não deixas-te um único traço, um único apontamento meu, simplesmente designaste-te a passar solenemente uma borracha, sem pedires desculpa ou qualquer tipo de licença.
Aboliste todas as minhas ideias, mas querias usar todas as minhas cores. Usufruíste da tua ousadia e utilizaste o meu caderno e trazias contigo as tuas próprias regras.
Pegaste em todos os meus lápis como fosses senhor deles, afiaste-os até a ultima apara de vida deles, folheaste e riscaste todas as folhas que aquele caderno possuía, deixaste lá todas as tuas memórias e foste embora.